BC dos EUA mantém juros, de olho em riscos para economia global - Página Xique-Xique

Plantão


Publicidade

16 março, 2016

BC dos EUA mantém juros, de olho em riscos para economia global

Mesmo com melhora dos indicadores, inflação baixa ainda preocupa Fed. Taxas dos títulos públicos continuam entre 0,25% e 0,5%.





O Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) decidiu manter as taxas de juros nesta quarta-feira (16) entre 0,25% e 0,5%. É a segunda vez que o órgão decide não alterar as taxas, após a primeira elevação em quase uma década, em dezembro.

A maioria das autoridades disse agora esperar que será apropriado elevar os juros em 0,5 ponto percentual até o final deste ano. Novas projeções mostraram que membros do Fed esperam dois aumentos de 0,25 ponto percentual nos juros até o fim do ano.

De acordo com o Fed, a economia global e os mercados financeiros "ainda representam riscos", apesar na melhora em uma série de indicadores econômicos.

Os membros do Fed destacaram o avanço no mercado de trabalho como um sinal de fortalecimento do emprego no país, mas lembrou que a inflação ainda preocupa, já que continua abaixo da meta de 2%.

Segundo o órgão, o consumo doméstico continua expandindo a um ritmo moderado nos EUA, e o setor imobiliário apresentou melhoras, embora os investimentos e as exportações tenham tido um desempenho fraco.

Projeções pioram

As autoridades do Fed também projetaram crescimento econômico mais fraco e inflação mais baixa este ano, e reduziram a estimativa sobre onde a taxa de juros estará no longo prazo para 3,30%, de 3,50% – um sinal de que a recuperação econômica continuará fraca.
O cenário para a taxa de juros representa uma mudança em relação às quatro altas esperadas quando o Fed elevou os juros em dezembro pela primeira vez em quase uma década.

O novo cenário surge no momento em que o Fed tenta enfrentar a volatilidade recente no mercado global e manter seus planos de elevar os juros de alguma forma intactos.

O Fed adotou uma postura cautelosa na reunião de política monetária de janeiro, em meio às perdas dos mercados financeiros, preços mais fracos do petróleo e queda das expectativas de inflação.

Os membros do Fed também veem contínua melhora do mercado de trabalho, com a taxa de desemprego caindo para 4,7% até o final do ano. Eles reduziram a estimativa para a inflação este ano para 1,2% de 1,6 por cento, mas veem recuperação para perto da meta de 2% no próximo ano.

Fonte: G1.globo.com/economia

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Publicidade