Governo anuncia medidas para reduzir o preço do feijão carioca - Página Xique-Xique

Plantão


Publicidade

25 junho, 2016

Governo anuncia medidas para reduzir o preço do feijão carioca

Temer liberou a importação do feijão de países de fora do Mercosul. O produto, vindo principalmente da China e México, sairá mais barato.





Quem vai ao supermercado está inconformado com o preço do feijão carioca. Na média, o quilo subiu 33% desde o começo do ano. A novidade agora é que o governo anunciou medidas pra baixar o preço do feijão.

Você se lembra da última vez que 1Kg do carioquinha estava custando quase o mesmo que 1Kg de carne? A diarista Ivete de Freitas reclama: "Como é que você ganha R$1 mil por mês, paga aluguel e paga 1 Kg de feijão, R$ 14?"

Anda difícil dizer que o carioquinha faz parte do prato predileto do brasileiro. Passou a ser só bife, batata frita e arroz. E o que falta pra preencher esse buraco, a dona de casa inventa, assim como a doméstica Altamira Rosa de Moura: "Tem que ficar sem comer feijão. Substitui por outra coisa. Lentilha".

Em uma caminhada pelo mercado, a reportagem encontrou o feijão carioca de uma marca, por R$13,79. De outra marca, por R$ 13,90. Outra ainda por R$14,99. Esse valor todo oor um único quilo do produto. E o pior é que, segundo Ana Menegatti, agrônoma e analista da MBAgro, o feijão supervalorizado ainda tem uma qualidade inferior ao feijão da safra do ano passado: "Nós tivemos, tanto um excesso de chuva no Paraná, no momento da colheita, como também seca em Minas Gerais. [os estados] São dois importantes produtores do feijão de primeira e segunda safra".

Na prática, deixamos de produzir 200 mil toneladas de feijão e o produto ficou em falta no Brasil. Desespero da dona de casa, mas a alegria de quem gosta de fazer piada na internet. Tem muita gente rindo para não chorar e colocando muita criatividade em montagens, nas redes sociais: tem sorvete no pote de feijão, espetinho de feijão, em vez de carne. O mesmo feijão que deve estar circulando em carro forte, chega só virtualmente no prato. E junto de cada brincadeira, quase sempre vem um pedido: "temerbaixaoprecodofeijao".

O presidente interino então anunciou uma medida: vai importar feijão de países do Mercosul e ainda estuda diminuir os embargos à importação de países como o México e a China.

Por enquanto, o preço subiu 50% de um ano para cá. E a aposentada Márcia Aly conta que vai se aventurar por outros grãos: "Agora vou experimentar esse fradinho. Vamos ver se dá caldo".


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Publicidade