Prefeito de Irecê diz que população 'está ressabiada' da velha política e denuncia 'rombo' - Página Xique-Xique

Plantão


Publicidade

Publicidade

16 abril, 2017

Prefeito de Irecê diz que população 'está ressabiada' da velha política e denuncia 'rombo'

Em entrevista ao Bahia Notícias, Elmo afirma que a população brasileira “está ressabiada e cansada da velha política”, e diz que ex-prefeito teria se apropriado indevidamente, já na sua gestão, de cerca de R$ 850 mil dos recursos de repatriação municipal.



Eleito em 2016 após uma concorrência apertada com o candidato a reeleição Luizinho Sobral (PTN), Elmo Vaz (PSB) acredita que está trazendo uma nova proposta para Prefeitura de Irecê. Com pouca experiência em gestão pública, Elmo afirma que a população brasileira “está ressabiada e cansada da velha política”.  Engenheiro civil e funcionário concursado da Embasa desde 1998, ele promete utilizar sua experiência e especialização na área sanitária para melhorar a situação do esgoto nas periferias da cidade. “Quando a gente atua no saneamento estamos atuando indiretamente na saúde da população”, disse em entrevista ao Bahia Notícias. Com dívidas do INSS e poucos recursos herdados da última gestão, Elmo denuncia que existe uma representação do Ministério Público contra Luizinho Sobral, que teria se apropriado indevidamente, já na gestão de Elmo, de cerca de R$ 850 mil dos recursos de repatriação municipal. Leia abaixo a entrevista na íntegra.


A eleição de 2016 foi concorrida e você venceu com 51,13% de um candidato que estava concorrendo à reeleição. Qual foi seu maior diferencial na campanha? 

Nós trouxemos uma proposta nova e a população do Brasil inteiro está ressabiada e cansada da velha política. Eu nunca tinha sido síndico de prédio ou candidato a vereador. Sempre fui técnico e dirigi empresas no governo. Resolvi entrar na política trazendo uma proposta nova, diferente do habitual e percebi que havia algumas lacunas junto aos bairros periféricos, da população mais pobre. Eu ganhei as eleições mostrando a população que o projeto seria cuidar das pessoas. Eles acreditaram e isso fez o diferencial.           


Falando ainda da eleição, na cerimônia de posse você afirmou que gostaria de governar para os mais humildes e que esta seria sua prioridade. Quais são os projetos pensados nesse sentido?      

Irecê tem uma cobertura de tratamento sanitária muito baixa, apenas em conjuntos habitacionais. É uma cidade que tem esgoto a céu aberto e eu comecei trabalhando exatamente nessa área. Sou engenheiro civil, tenho especialização na área sanitária e comecei trabalhando nas periferias, retirando os esgotos e dando dignidade às pessoas. Acredito que quando a gente atua no saneamento estamos atuando indiretamente na saúde. Outro projeto, chamado “Minha rua tem luz”, está levando um banho de iluminação para as periferias, que estavam desassistidas na área. Além disso, estamos fazendo mutirões de limpeza nos bairros mais populares e começando a trabalhar com associações de apoio a pessoas que sequer tem fossas para armazenar os dejetos de esgotos domiciliares. Mutirões de construção também estão sendo realizados e estamos dando apoio à comunidade nesse sentido. Por enquanto, eu não pretendo fazer obras no centro porque entendo que elas devem começar na periferia. Na saúde, Irecê tinha 1100 pessoas na fila esperando cirurgia eletiva. Eu abri o hospital na primeira semana e comecei a patrocinar essas cirurgias com recursos próprios e com ajuda do Governo do Estado, a gente também recebeu um mutirão de cirurgias. Em quatro meses iremos realizar cerca de 200 procedimentos, mais do que o dobro do que foi feito nos últimos quatro anos.         


Quais serão as maiores dificuldades que você acha que terá na execução desses projetos?     

A primeira é a questão financeira, já que o país está passando por uma dificuldade econômica e esse arrocho passa para os municípios, a queda da receita foi significativa. Infelizmente a gente também herdou algumas dívidas na área trabalhista, que foram negociadas propositalmente para dificultar a nossa vida. Além disso, as dívidas do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), que estão consumindo grande parte dos nossos recursos. O nosso maior desafio é ter recursos sobrando para investimento.       

Essas foram as contas que você herdou na última gestão? Como você encontrou a prefeitura?     

As principais contas de saúde, FPM e educação eu encontrei zeradas, a gestão anterior gastou mais de R$ 2 milhões de compras de veículos já no “apagar das luzes”, eu praticamente não encontrei recursos. O dinheiro da repatriação que, por exemplo, caiu dia 31 de dezembro, ele meteu a mão nas contas no dia 2 de janeiro, já na minha gestão e retirou R$850 mil. Isso foi objeto de representação junto ao Ministério Público, Tribunal de Contas e Polícia Federal. Estamos tomando as providências jurídicas para reaver esses recursos retirados no dia 2 de janeiro. Foi uma usurpação, algo que não poderia ter sido feito e isso vem dificultando a minha gestão, a gente vai ter que recuperar isso com o tempo.         

A seca deste ano tem sido uma das mais severas dos últimos tempos, atingindo a população e diversos setores da economia. A prefeitura busca alternativas para geração de empregos e renda?     
        
Estive com o secretário de planejamento do estado, o vice-governador João Leão e o diretor-presidente da Sudic (Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial), Jairo Vaz, pedindo ajuda para que a gente possa atrair empresas para Irecê. A cidade fica no centro da Bahia, pode comportar Centros de Distribuição (CD’s) e pode ser vista como um centro de logística pela sua condição geográfica e também pela população que tem no entorno de Irecê e chega a 900 mil habitantes. Terei uma reunião com o superintendente de atração de investimentos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e também iremos tratar da atração de investimentos. Estamos em busca de empresas e negócios que possam fomentar mais empregos e renda para Irecê, que apesar de ser conhecida nacionalmente como região agrícola, se tornou um polo de prestação de serviços.          
   

Acontecerá um evento voluntário com procedimentos médicos em Irecê em abril. De que forma a população se beneficiará?

Nessa busca pela melhoria da saúde iremos receber uma articulação feita entre o governador, a primeira dama e o secretário Fábio Vilas-Boas. O projeto Voluntários do Sertão ocorrerá do dia 15 a 23 de abril em Irecê. Esperamos que cerca de 10 mil pessoas sejam atendidas, extrapolando a população do município para toda a região. O evento será aberto ao público e quem chegar será atendido. Cerca de 400 profissionais vão realizar de 40 a 45 mil procedimentos. Acredito que o projeto vai aliviar boa parte da nossa demanda de saúde porque terá atendimentos nas áreas de ginecologia, pediatria, odontologia e em cirurgias eletivas. Temos a informação de que a apresentadora Xuxa estará presente e eu espero que Ivete Sangalo possa acompanhá-la. Estamos de braços abertos para receber voluntários e toda população da região. (Irecê Repórter)

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Publicidade