Mais de 100 pessoas foram tratadas para esquistossomose em Lençóis, diz Sesab - Página Xique-Xique

Plantão


Publicidade

Publicidade

23 junho, 2017

Mais de 100 pessoas foram tratadas para esquistossomose em Lençóis, diz Sesab


Mais de 100 pessoas já foram tratadas para esquistossomose em duas localidades do município de Lençóis, desde o dia 31 de maio. As informações são da Secretaria estadual de Saúde (Sesab), que está no município desde o dia 3 de maio, após casos de turistas terem contraído a doença no início desde ano, após visitarem o Poção, localizado na Fazenda Santo Antônio. Três pontos turísticos foram interditados na Chapada Diamantina após os casos da doença.

Segundo a Sesab, o tratamento dos casos positivos começou no dia 31 de maio e, até o momento, 105 pessoas foram tratadas nas localidades Remanso e São José. Segundo o pesquisador da FioCruz, Mitermayer Galvão, o número não pode ser considerado alto, visto que a região da Chapada Diamantina é considerada endêmica da doença. “Não é alto. O mais importante é saber que eles estão examinando as comunidades que ficam no entorno das coleções hídricas, não é a cidade de Lençóis. Estão tratando pessoas que estão do lado e que estão contribuindo para o risco de infecção”, explica.

Equipes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVEP) e do Núcleo Regional de Saúde (NRS) Centro Leste (Feira de Santana e Seabra) selecionaram 25 localidades no município, considerando o percentual de positivos até o ano de 2008, a localização geográfica das localidades (proximidade de rios, cachoeiras), locais turísticos em geral e população ribeirinha.

De acordo com a Sesab, em 20 localidades foram concluídos o levantamento coproscópico (diagnóstico realizado através do exame parasitológico das fezes) e cinco localidades estão com as atividades em andamento. “Quanto ao levantamento malacológico (estudo dos moluscos) foram realizadas pesquisas em 04 localidades que margeiam os rios”, diz a secretaria, em nota.

No ano passado, em toda a Bahia foram notificados 532 casos da doença através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) – para onde são encaminhadas informações de áreas não endêmicas, como é o caso de Lençóis – e outros 2.853 pela rede de atenção básica.

O CORREIO entrou em contato com o secretário de Saúde de Lençóis, Marno Azevedo, que disse não ter estimativas de números de casos da cidade, já que aguarda que os dados sejam informados pela Sesab.

Fonte: Correio 24h

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Publicidade