Protesto dos caminhoneiros em SC chega ao 6º dia; setores calculam prejuízos - Página Xique-Xique

Plantão


Publicidade

26 maio, 2018

Protesto dos caminhoneiros em SC chega ao 6º dia; setores calculam prejuízos

Fiesc diz que danos já passam dos R$ 200 milhões. Governador descartou uso de forças federais.

A greve dos caminhoneiros contra o preço do diesel chega ao 6º dia neste sábado (26). Em Santa Catarina, há nesta manhã 131 pontos de bloqueio em rodovias estaduais e federais. Na sexta, o governador Pinho Moreira (MDB) descartou o uso de forças federais para desmobilizar os manifestantes, diferentemente do que havia sido pedido pelo presidente Michel Temer (MDB) aos governadores.

A paralisação tem provocado falta de combustíveis em postos, e alterou horários de circulação de ônibus do transporte coletivo em diversas cidades catarinenses. Supermercados, hospitais, indústrias e a rede de ensino também sofrem reflexos da greve. Três prefeituras decretaram situação de emergência.

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis) calcula que o prejuízo total dos postos da Grande Florianópolis ultrapasse R$ 1 milhão por dia, após deixarem de receber e comercializar combustíveis.

Já a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) calcula que os prejuízos já passam dos R$ 200 milhões. Ainda não há estimativa total das perdas como um todo do setor produtivo.

Combustíveis

Em Santa Catarina, 254 dos 295 municípios relataram problemas de abastecimento de combustíveis, conforme dados do estado divulgados na sexta. Como houve picos de demanda nos postos de combustíveis e supermercados, isso dificultou que o estado pudesse estocar esses insumos.

Em Joinville, segundo o Sindipetro, só dois postos tinham gasolina na noite de sexta. A base em Guaramirim, que segundo o sindicato abastece 100% do município, estava fechada até a manhã deste sábado. Caso não seja reaberta, não deverá mais ter gasolina na cidade no período da tarde.

Alimentos

As Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa-SC), em Florianópolis, diz que há desabastecimento de cerca de 80%. A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) informou que já há falta de vários produtos nos supermercados.

Transporte público

Em Florianópolis o transporte coletivo neste sábado deverá ser com horário de domingo. Blumenau e Criciúma também estão com horários alterados.

Em Balneário Camboriú, neste sábado os ônibus circularão até as 15h com horário de domingo. No próprio domingo (27), os coletivos não vão circular. Na segunda, a empresa fará nova avaliação, mas deve operar na segunda e terça com horário de domingo.

Aeroportos

O Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville, ficou sem combustível na noite de sexta. Assim, só vão chegar à cidade as aeronaves que tiverem querosene para poder voltar aos locais de origem.

Em Florianópolis, o Aeroporto Internacional Hercílio Luz ficará sem combustível a partir da tarde deste sábado (26). Os passageiros devem consultar as companhias aéreas sobre possíveis cancelamentos de voos.

Chapecó, no Oeste, só recebe aeronaves abastecidas. O combustível disponível está reservado para os helicópteros de segurança.

No aeroporto de Navegantes, as operações aéreas seguem normalmente pelo menos até o fim da tarde deste sábado.

Saúde

As cirurgias eletivas (que foram agendadas) estão suspensas na rede estadual, que tem 13 hospitais próprios. Os procedimentos cirúrgicos serão reagendados.

Outros dez hospitais filantrópicos ou privados suspenderam as cirurgias eletivas, informou a Associação e Federações dos Hospitais de Santa Catarina na sexta. A greve dos caminhoneiros impede que materiais e remédios sejam entregues regularmente. Outras unidades também enfrentam dificuldades por causa dessa situação.

Educação

Universidades e escolas estão com aulas interrompidas. A Universidade do Vale do Itajaí (Univali) suspendeu as atividades até segunda (28). No Sul do estado, 24 mil alunos foram impactados pela falta de aulas na rede municipal e estadual.

A Prefeitura de Lages, na Serra, suspendeu as aulas na segunda (28) do sistema municipal de ensino.

A Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) suspendeu as aulas e demais atividades acadêmicas do período noturno até segunda. A medida vale para os campi de Florianópolis e Pedra Branca, em Palhoça, Tubarão, Araranguá, Braço do Norte, Içara e Colégio Dehon.

A Secretaria de Educação de Balneário Camboriú comunicou que as aulas na segunda (28) nos Núcleos de Educação Infantil e Centros de Educação Municipal foram suspensas. Caso a greve continue, a prefeitura deve fazer novo anúncio na segunda.

Coleta de lixo e serviços públicos

Em Florianópolis, a coleta de lixo, que havia sido alterada, voltou a operar na noite de sexta, após negociação da prefeitura com caminhoneiros para liberação de combustíveis. Blumenau e São Joaquim também tiveram serviços afetados. Boa parte das prefeituras do estado interrompeu obras que utilizam máquinas pesadas para garantir gasolina.

Em Jaraguá do Sul, a coleta de lixo foi paralisada temporariamente, e a orientação é que a população não coloque os sacos de lixo orgânicos nas calçadas, para evitar a proliferação de vetores e animais.

Indústria

A Aurora de Chapecó e a BRF de Concórdia e Itapiranga suspenderam o abate. Ao menos 20 mil propriedades rurais e 20 indústrias de Santa Catarina foram impactadas pela greve dos caminhoneiros.

Energia e abastecimento (água e luz)

A Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) emitiu comunicado na tarde desta quinta para que a população que diminua o consumo de água tratada, porque o abastecimento dos produtos necessários para tratamento está comprometido. O estoque atual é suficiente para mais alguns dias.

Estradas federais

Conforme a última atualização da Polícia Rodoviária Federal (PRF-SC), à 00h10 deste sábado (27), são 62 pontos com manifestação dos caminhoneiros.

Fonte: G1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Publicidade